Queridos leitores/seguidores: Fechei o blog não por motivo de manutenção, mas por motivo de dúvida. Não sei o que fazer com ele no momento. Possivelmente eu o excluirei, mas não decidi sobre isso ainda. Pensarei no assunto durante esses dias e irei avisá-los em breve. Caso queiram entrar em contato comigo, visitem meu outro blog: kaze--hikaru.blogspot.com Agradeço as visitas, os convites de parceria que me fizeram e os últimoes comentários. Infelizmente, não serei capaz de respondê-los/retribuí-los no momento, por motivos pessoais. Muitas coisas tem ocorrido comigo ultimamente, e preciso lidar com elas, e manter vários blogs durante esse período da minha vida não é mais possível. Gosto muito de todos vocês, e com certeza sentirei saudades! Um grande abraço, - A Garota da Casa 12

Lembranças não foram feitas para serem esquecidas...

Lembranças. Memórias. Coladas e penduradas na parede do quarto. Cada dia, aquilo tudo aumentava mais. A mãe reclamava da bagunça, e que aquilo só trazia poeira. Mas, a medida que ela mais falava, mais a menina se sentia motivada a fazer o mesmo. Fotos, recortes de revistas, lembranças de amigos, cartas, papéis... De algum modo, aquilo a confortava. Se sentia bem, ao passar o seu tempo no passado. 
Dava um jeito se elas não coubessem nas paredes: colava na cama, no criado mudo, fazia um varal e prendia com prendedores... Mas a mãe, é sempre ela, tentava tirá-las para poder limpar. Parecia que queria apagar suas lembranças.
Os anos foram se passando, e aquela mania incontrolável de guardar memórias foi se apagando, pois já não morava na mesma casa. Tinha virado uma mulher resolvida com sua vida, decidida, que sabe impôr sua presença. 
Um dia, com saudades, foi visitar a velha mãe. Se abraçaram, conversaram, riram. Numa certa hora, a idosa senhora levou-a para seu antigo quarto, aquele mesmo que a menina passara a maior parte do tempo recortando e colando lembranças. Estava igualzinho, mas limpo e arrumado. Do jeito que ela havia deixado da última vez que ficou ali.
"Pensei que você já tinha jogado tudo fora mãe." disse a garota, agora mulher.
"Não minha filha. Depois que foi embora, senti uma saudade insuportável de você. Mas as lembranças que colou e pendurou nas paredes me confortaram, até que você voltasse para mim."

Escrito por mim ^.^

0 comentários :

Postar um comentário

Leia antes de escrever algo:
★ Muito obrigada por comentar ^.^
★ Por favor, seja educado. Nada de xingamentos.
★ Críticas são sempre bem-vindas, desde que construtivas.
★ Aceitamos tags e selinhos que nos interessarem.
★ Deixe o link de se blog! Retribuiremos a visita e o comentário na medida do possível.

 
Layout feito por Lee Juliette | Não retire os créditos